CIS-URG faz reunião de prestação de contas do SAMU

O Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste (CIS-URG) recebeu na manhã desta quinta-feira (30), os prefeitos de Bambuí, Carmo do Cajuru e Martinho Campos, que integram o Conselho Fiscal do Consórcio. Eles participaram da reunião de prestação de contas do primeiro semestre do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na região.

Na ocasião, o secretário executivo e coordenador do SAMU, José Marcio Zanardi apresentou ferramentas de consultas das contas públicas que estão disponíveis a qualquer cidadão no site do Consórcio, no Portal da Transparência.

Ainda dentro da pauta foram discutidos os atrasos de repasses do custeio mensal por parte do Estado e dos municípios que se encontram inadimplentes. Dentro da reunião foi proposto o débito autorizado em conta das prefeituras, como possibilidade de acabar com o problema e garantir a sustentabilidade do Serviço. Cada um dos 54 municípios que fazem parte da rede de atendimentos do SAMU pagam R$ 0,40 por habitante.

Olívio José Teixeira, prefeito de Bambuí ressaltou o quanto é importante a contrapartida do Estado, que portanto, precisa estar em dia para garantir a atuação do Serviço na região. “Ficamos inconformados com os atrasos por parte do Governo Federal e com os municípios que estão inadimplentes. Sabemos que se o Estado estiver em dia, dá para suportar inclusive, um pouco dos atrasos dos municípios, o que não deve ocorrer. Sobre o débito em conta, é uma ótima proposta de segurança e sustentabilidade para o SAMU”, disse

José Ailton de Freitas, prefeito de Martinho Campos, destaca que os atrasos podem ocorrer diante das atuais circunstancias financeiras enfrentadas por órgãos públicos, mas reconhece que qualquer pagamento que deixar de ser feito poderá comprometer os atendimentos.

“Sabemos que esses atrasos ocorrem diante da atual circunstância. Com a proposta do débito em conta acreditamos que isso possa acabar. Afinal, são recursos que se faltarem vão comprometer o Serviço e isso não pode ocorrer. Na reunião tivemos a explanação de um balancete geral e foi muito bom. Posso dizer que em Martinho Campos o SAMU aliviou muito em todos os sentidos e inclusive financeiramente com as transferências inter-hospitalares, que eram pagas individualmente. Podemos dizer que economizamos em torno de R$ 60 mil com esse serviço nesses seis meses de atuação do SAMU, sendo que mensalmente pagamos ao CIS-URG pouco mais de R$ 4 mil. O SAMU te atendido a população da melhor maneira possível, temos certeza disso”, ressaltou.

Para o prefeito de Carmo do Cajuru, Edson Vilela, os segredos de gestão de boas organizações públicas são a transparência e a eficiência dos gastos. “Seja em um consórcio ou uma administração pública o segredo está na transparência e na eficiência dos gastos de forma sadia. A gente vê que o nosso CIS-URG tem caminhado com resolubilidade de quase 100% de eficiência e qualidade nos atendimentos. Mas isso deve refletir nas contas também, porque a sobrevivência de qualquer sistema depende dessa qualidade dos gatos, receitas e participação dos municípios”, destacou.

“Infelizmente o Estado está com dois meses de atrasos com o nosso CIS-URG, mas o Consórcio está tão eficiente, que mesmo com esses atrasos continua mantendo os compromissos e os atendimentos com a mesma qualidade. Agora, o Estado não pode ficar desse jeito porque é um dos parceiros que financeiramente tem uma expressão grande e que garante a funcionalidade do Serviço”, completou o prefeito.

4 de dezembro de 2017