Assembleia reúne representantes municipais

O Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste para Gerenciamento dos Serviços de Urgência e Emergência (CIS-URG) realizou nesta quinta-feira (7), a terceira Assembleia Ordinária de 2017. O evento feito na Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) teve início às 9h e contou com a presença de cerca de 40 representantes municipais entre prefeitos e secretários de saúde.

A assembleia foi uma oportunidade para apresentar o balanço assistencial do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que completou hoje (7), seis meses de atuação no Centro-Oeste, com quase 120 mil ocorrências. Também foi apresentado um balanço de prestação de contas do CIS-URG.

Os assuntos pautados para a reunião foram presididos pelo secretário executivo e coordenador do SAMU, José Márcio Zanardi e o prefeito de Luz e presidente do CIS-URG Ailton Duarte.

A inadimplência dos municípios consorciados foi um dos temas discutidos na ocasião. Cada consorciado é responsável por pagar R$ 0,40 por habitante mensalmente e muitos estão com parcelas atrasadas. “Esse é um tema importantíssimo para ser sempre discutido. Não existe consórcio sem pagamento, porque sem pagamento ele deixa de existir e não é isso que queremos para o CIS-URG”, disse o prefeito de Pitangui Marcílio Valadares.

Além do atraso dos municípios também foram citados os atrasos do Estado, que acumula hoje uma dívida de mais de R$4 milhões com o Consórcio. O valor é referente a duas parcelas atrasadas de mais de R$2 milhões cada.

Uma solução possível discutida na reunião seria o débito autorizado em conta dos municípios que integram o Consórcio. A pauta ainda está em aberto para definição dos gestores municipais.

José Marcio Zanardi pontuou ainda, que desde o início das atividades o SAMU tem pautado suas ações técnicas e administrativas para ser habilitado e qualificado pelo Ministério da Saúde (MS) dentro do Programa Nacional de Atenção às Urgências. Toda documentação que diz respeito ao processo já foi providenciada CIS-URG e enviada para a Secretaria de Estado de Saúde, que a partir de então é responsável pela apresentação dos documentos ao Ministério.

Com a habilitação, o SAMU Oeste passará a receber inicialmente cerca de R$ 680 mil de repasse Federal. Isso significa que o Estado será desonerado neste mesmo valor e repassará o saldo restante do custeio mensal”, explicou Zanardi.

A reunião prosseguiu com temas pertinentes ao SAMU e de interesse dos gestores municipais. Ao final foi realizada uma homenagem aos prefeitos que tanto se esforçaram para implantação do SAMU na região. Foi entregue uma placa de agradecimento personalizada para cada gestor. Os prefeitos que não compareceram receberão o item simbólico por meio da gerência do CIS-URG.

7 de dezembro de 2017